Doenças


Tricomonose

A Tricomonose Bovina é uma doença infecciosa sexualmente transmissível (venérea) de bovinos, causada por um protozoário denominado Tritrichomonas foetus, cujo habitat é o trato genital de bovinos, sendo transmitido do macho para a fêmea através da monta ou pelo uso de sêmen contaminado.

É responsável pela infertilidade caracterizada por infecções no trato genital, provocando aborto nas fêmeas e infecção assintomática (tricomoníase) nos machos, sendo esta última, a fonte de infecção durante sua vida reprodutiva. 

É uma doença que se encontra praticamente erradicada em vários países que utilizam intensamente a inseminação artificial, contudo, ainda ocorre de forma endêmica em regiões onde o controle sanitário é deficiente ou o sistema de produção é extensivo com utilização de monta natural.

Como reconhecer

A presença da tricomonose em um rebanho pode ser percebida através da ocorrência de uma redução de 20-40% de prenhez, taxa de natalidade menor que a esperada e uma estação de nascimentos prolongada.

Na fêmea, apesar de sua incidência ser baixa, pode causar repetições irregulares de cio com intervalos aumentados (até 50-70 dias), vaginite, cervicite, endometrite, piometra, morte embrionária ou fetal, feto macerado e aborto até o quinto mês de gestação.

A doença, no entanto, não tem sinais clínicos característicos, portanto o diagnóstico deve ser laboratorial, pela observação do parasito em secreções vaginais, placenta, líquido abomasal de fetos abortados, líquidos de piometra e, principalmente, em esmegma prepucial de touros. A infecção não impede a fêmea de conceber, mas impede que o embrião se fixe na mucosa uterina, seguindo-se a morte do mesmo com reabsorção embrionária ou aborto. 

Como tratar

Como o tratamento de fêmeas infectadas é praticamente ineficaz, aconselha-se o descanso sexual. A estação de monta favorece em muito para que a doença seja reprimida. As novilhas e vacas se recuperam após um período de 4 a 5 meses de repouso sexual.

A utilização de machos sadios ou sêmen comprovadamente negativo são primordiais para a eliminação da doença no rebanho. 

Em vacas com piometra pode-se utilizar prostaglandina para a eliminação da secreção purulenta. 

Os machos infectados devem ser descartados, pois são portadores assintomáticos, prejudicando o controle e a erradicação da doença.

Alguns técnicos indicam o tratamento medicamentoso, porém os resultados não são seguros, possuem custos altos e são demasiadamente variáveis.

Como evitar

Vários métodos podem ser utilizados para o controle da Tricomonose em rebanhos, sendo todos baseados na segregação de touros e fêmeas positivos.


Veja mais


  • 01
  • | Total: 1 items