Conforto para vacas de leite – Parte 2

Nesta edição o Valeu Vallée aborda o conforto térmico, um dos fatores mais importantes para garantir o bem-estar e a sustentabilidade da atividade leiteira. Você vai saber quais os problemas que o estresse térmico pode acarretar nos animais e conferir também as medidas que devem ser adotadas numa propriedade para amenizar os efeitos do calor.

Conforto para vacas de leite – Parte 1

O Valeu Vallée inicia uma série de três programas sobre a importância do conforto para as vacas leiteiras. Você verá que esse é um aspecto decisivo para a produtividade e a lucratividade de um rebanho. Nesta primeira edição vamos destacar os principais fatores que afetam o bem-estar e o conforto dos bovinos leiteiros e como identificar comportamentos anormais que evidenciam o desconforto animal.

A pecuária de leite no Nordeste – Parte 3

A pecuária de leite nordestina continua em foco no Valeu Vallée, que mostra todos os detalhes sobre o sistema produtivo predominante no semi-árido do País. Nossa equipe visitou a Fazenda Nova, localizada no município de Batalha, AL. Com uma produção de 6 mil litros de leite por dia, a propriedade é considerada um dos criatórios da raça Girolando mais conceituados do Brasil.

A pecuária de leite no Nordeste – Parte 2

O Valeu Vallée dá continuidade à série especial sobre a pecuária de leite no Nordeste do país. Você vai conhecer uma propriedade localizada na região litorânea, onde as chuvas são mais constantes em comparação com o semi-árido. Devido às condições climáticas mais favoráveis, o plantel leiteiro da Fazenda Gregório, no município alagoano de Satuba é criado a pasto. Através de um rigoroso manejo e assistência técnica personalizada a produção do rebanho vem melhorando cada vez mais, contribuindo para que estado de Alagoas permaneça com a maior média de produção de leite por animal do Nordeste brasileiro.

A pecuária de leite no Nordeste – Parte 1

O Valeu Vallée exibe uma série especial de três programas sobre a pecuária de leite no Nordeste do País. Vamos destacar o potencial, as vantagens e as dificuldades da atividade leiteira nesta importante região. Vamos mostrar também que através de investimentos em genética, sanidade, nutrição e manejo os produtores têm conseguido melhorar a produtividade do rebanho e, consequentemente, ganham mais notoriedade no cenário nacional.

Utilização da palma forrageira na alimentação dos bovinos – Parte 3

Encerrando a breve série sobre a utilização da palma na alimentação dos bovinos, o Valeu Vallée destaca os principais benefícios produtivos e econômicos para os produtores. Em busca dessas informações, a nossa equipe visitou um criatório de leite alagoano que foi um dos pioneiros no fornecimento de palma para o rebanho. A contribuição da forrageira para as propriedades da família Amaral é tão significativa que todos são unânimes em afirmar que “a produção de leite pode ser medida pela quantidade de palma plantada na fazenda”.

Utilização da palma forrageira na alimentação de bovinos – Parte 2

O Valeu Vallée segue falando sobre a palma forrageira, um dos principais suplementos alimentares para os bovinos no semi-árido brasileiro. Você vai conhecer quais as variedades mais cultivadas e resistentes a cochonilha do carmim, que é a principal praga que afeta as plantações de palma. Vamos destacar também como dever ser conduzido o manejo desta forrageira para se obter um plantio e uma colheita bem sucedidos.

Alimentação da palma forrageira na alimentação dos bovinos – Parte 1

A equipe de reportagem do Valeu Vallée embarcou para o Nordeste do país e durante uma semana visitou diversas fazendas produtoras de leite e carne nos Estados de Alagoas e Pernambuco. Vamos exibir reportagens especiais com muitas informações sobre a pecuária no semi-árido brasileiro. Para começar, saiba por que a utilização da palma forrageira é uma alternativa alimentar importante para os bovinos criados numa região onde as condições climáticas, caracterizadas principalmente pelas secas, são uma constante ameaça à eficiência, sustentabilidade e competitividade de um dos setores mais prósperos do Nordeste.